domingo, 26 de dezembro de 2010

entre aspas - coisas que ainda não aprendi. ³

Ninguém nunca me disse que eu precisava ser forte. Um dia, sei lá quando, eu resolvi que ia ser. Sempre fui aquela que ouviu todo mundo, automaticamente achava que tinha que dar força para os outros. É claro que mil vezes peguei o telefone chorando perguntando o-que-eu-faço. Mas isso é quando eu era adolescente e estava arrasada porque algum bonitão me deu o fora. Meus assuntos sérios e profundos eu nunca soube dividir. Penso que a vida é minha, o problema é meu, ninguém tem que ouvir minhas lamúrias, tristezas, coisas chatas e ruins. Penso que me viro sozinha. Penso que me resolvo comigo, que dou um jeito, que consigo.

entre aspas - coisas que ainda não aprendi. ²

A vida me ensinou a perdoar os outros. Mas fez questão de me mostrar que a gente pode perdoar sem esquecer. Minha memória é boa, sei quem pisou na bola. Aceito que as pessoas errem uma ou dez vezes, desde que se arrependam com o coração. Arrependimentos da boca para fora nunca me convenceram, apesar de eu já ter caído em ladainhas toscas sem fim. A vida ainda não me ensinou a me perdoar. Me condeno, me mando para a cadeia, para a solitária, como pão e água. Cumpro minha pena e nem assim descanso. E eu não sei pedir. Meu Deus, eu não sei pedir ajuda. Nunca gostei de depender dos outros. E tem mais: não consigo dizer eu-preciso-de-você-agora. Sei que é simples, mas não sai. Algo me trava, a voz não sai.

Garotos pensam

que para conquistar uma “garota” é preciso ser fodão, musculoso e bonitão. Não, para conquistar uma garota, o segredo é ser discreto, humilde e principalmente cavalheiro, seja misterioso, elas gostam de explorar, descobrir… Não trate ela como segunda ou terceira opção, não fale que ela é feia, chata ou desinteressante, eu sei bem que quem desfaz quer muito comprar. Garota precisa de atenção, carinho, compreensão, seja ela delicada, agressiva ou desapegada, toda garota é garota o bastante para precisar de proteção, digo mais uma vez, não se conquista “verdadeiramente” o coração de uma jóia dessas, com mentiras, se for para mentir, esqueça-a, você nunca irá merecer o carinho e amor dela, ela é digna de um verdadeiro “homem”, pois quem brinca com o coração de quem se é frágil, não merece ser amado. Garota, tu es tudo, valorize-se.
Havia uma garota que se odiava pelo fato de ser cega. Ela também odiava a todos, exceto seu namorado. Um dia ela disse que se pudesse ver o mundo, se casaria com seu namorado. Em um dia de sorte, alguém doou um par de olhos a ela. Então o seu namorado perguntou: ― Agora que você pode ver, você se casa comigo? A garota viu que ele era cego e chocada, disse: ― Eu sinto muito, mas não posso me casar com você, porque você é cego! O namorado afastando-se dela em lágrimas, disse: ― Por favor, apenas cuide bem dos meus olhos, eles eram muito importantes pra mim.

Eles se amam.

todo mundo sabe mas ninguém acredita. Não conseguem ficar juntos. Simples. Complexo. Quase impossivel. Ele continua vivendo sua vidinha idealizada e ela continua idealizando sua vidinha. Alguns dizem que isso jamais daria certo. Outros dizem que foram feitos um para o outro. Eles preferem não dizer nada. Preferem meias palavras e milhares de coisas não ditas. Ela quer atitudes, ele quer ela. Todas as noites ela pensa nele, e todas as manhãs ele pensa nela. E assim vão vivendo até quando a vontade de estar com o outro for maior do que os outros. Enquanto o mundo vive lá fora, dentro de cada um tem um pedaço do outro. E mesmo sorrindo por ai, cada um sabe a falta que o outro faz. Nunca mais se viram, nunca mais se tocaram e nunca mais serão os mesmos. É fácil porque os dias passam rápidos demais, é dificil porque o sentimento fica, vai ficando e permanece dentro deles. (...)

Não preciso de ninguém

pra me dizer o quanto sou linda, gostosa e inteligente. Pra isso, tenho espelho, academia, papel e caneta. Não preciso usar meu corpo ou muito menos minhas palavras pra conquistar alguém. Pra isso, tenho sentimentos que falam por mim.

entre aspas - coisas que ainda não aprendi.


Sempre ouvi dizer que a vida ensina e que o tempo cura tudo. Mas hoje preciso te contar que certas coisas a vida ainda não fez o favor de me ensinar e que o tempo se atrasou e ainda não veio me libertar de uns desejos. (…) O tempo nem sempre cura tudo. Tenho feridas que já cicatrizaram, mas que insistem em latejar quando o dia está nublado. Tenho mágoas que já foram superadas, mas se lembro bem, se lembro forte, se penso nelas eu choro. E o choro dói, dói, dói como se fosse ontem. Tenho vontades que nunca passam. Tenho uma tara por chocolate e queijo que nunca saiu de viagem. Tenho mania de escrever em blocos e ter pelo menos dois deles sempre dentro da bolsa. Tenho sentimento de posse, tenho ciúme, tenho medo de perder quem é essencial na minha vida. Tenho medo de me perder, por isso acendo todas as luzes.

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

siga teu caminho...

... e esse amor todo está me envenenando. Não quero mais te amar, não quero te escutar, muito menos conversar. Não pretendo e não vou tentar te entender, você mudou e suas atitudes ninguém consegue compreender. Dane-se o passado, se trata do presente. Como suportar suas implicâncias, sua infantilidade, o seu jeito incomum de me ferir ? Não é tão fácil assim tampar uma ferida que há muito tempo começou a se abrir. Não agüento mais viver assim, você já não é a mesma pessoa que conheci. E pensar que eu temia em te perder, que estar ao teu lado bastaria. Talvez meu erro foi apostar todas as minhas fichas, em uma pessoa que nao tinha nenhuma possibilidade de vitória.Tente me esquecer, eu já fiz o mesmo com você. Não quero mais te ver, siga teu caminho e não olhe pra traz. Em minha vida, eu não te quero mais. descrição:Desculpa por estar ausente quando você mais precisava de mim, por não chegar na sua frente e revelar que eu não sou perfeito assim. Pois tudo que eu mais quero é não me sentir culpado estando em braços teus, só estou tentando ser sincero em te revelar, todos os erros meus.
conhecer muita gente não é o mesmo que ter amigos, ficar sem comer não te deixa um palito, excluir uma pessoa não te torna mais popular, não são as marcas que vão te rotular, xingar alguém de gordo não te emagrece, dizer que uma pessoa é triste não traz felicidade, falar que alguém é fraco não te fortalece, dizer que uma pessoa é metida não te traz a humildade, falar que alguém é insignificante não te engrandece, dizer que uma pessoa é falsa não te leva à verdade, dinheiro não compra felicidade, ser famoso é diferente de ser querido, sexy não é o mesmo que vulgar, atração é diferente de amar.

A gente só tem um objetivo: SER FELIZ.

E ai você encontra um cara que te agrada, te faz sorrir todas as vezes que fala com você; um cara que parece ser sincero, gentil, romântico, e pra ficar perfeito, um gato. Um cara atencioso e que te chama de 'amor'. Um cara que aparentemente gosta de você. Mas não é bem assim. O cara vai te pizar e te fazer chorar 30 vezes por dia, vai fazer você beber 50 litros de pinga, pra curar a dor do amor. O cara vai sumir e reaparecer bem no dia que você conseguiu não pensar nele! Ai você tem que lembrar, que igual esse cara, vão passar mais um milhão, e que esse tipo de coisa não faz falta pra você. Fácil falar né?! Pois é, a vida é assim .

ele não começa com "era uma vez" e nem termina com "felizes para sempre"

ele começa com um sorriso, uma lágrima. ele começa com palavras doces, simpáticas e verdadeiras. ele começa com um olhar, com uma conversa. ele começa como uma música, que faz todos entrarem dentro dela e envolve cada vez mais em suas armadilhas. independente das pessoas, dos lugares, e dos tempos, sempre vai ser amor;
o amor não é feito de palavrinhas idiotas; o amor é feito de grandes gestos, como aviões levandos faixas sobre estádios; propóstas em telões, ou palavras gigantes escritas no céu. o amor é ir mais além mesmo que doa, deixando tudo pra traz.
o amor é encontrar uma coragem dentro de si que nem se sabia que existia!

a menina que

Cresceu ouvindo coisas e pensou que jamais entenderia. A menina que mergulhava-se em pensamentos, para se refugiar em um mundo melhor. A menina que sabia equilibrar ingenuidade com sabedoria. A menina que amadureceu, mas que ainda sim, mantém a cabeça nas nuvens. A menina que não teve medo de chorar, tentar e conseguir. A menina que quer conquistar o mundo, com o seu jeito verdadeiro de ser. A menina que aprendeu a ser realista sem perder o otimismo, a fé e que nunca deixou de sonhar. A menina que mesmo brigando, é doce. A menina que vive cercada de pessoas essênciais e que ela leva consigo guardadas no coração. A menina que aprendeu com os erros, alegrou-se com os acertos, e enfrentou seus desafios de cabeça erguida.

Eu aprendi que...


...não posso exigir o amor de ninguém, posso apenas dar boas razões pra que gostem de mim, e ter paciência pra que a vida faça o resto. Que não importa o quanto certas coisas são importantes pra mim, tem gente que não dá a mínima. Aprendi que posso usar o meu charme por 10 minutos, depois disso, preciso saber o que estou falando. Que posso fazer algo em um minuto, e responder por isso o resto da vida. Aprendi que nos momentos mais difíceis, a ajuda vem justamente da pessoa que eu achava que ia tentar piorar minha vida. Que eu tenho o direito de me irritar, mas não tenho o direito de ser cruel e que jamais posso dizer a uma criança que seus sonhos são impossíveis e que eu preciso me perdoar antes de qualquer coisa. Aprendi que, quando duas pessoas discutem, não significa que elas se odeiam. E, quando duas pessoas não discutem, não significa que elas se amam. Também aprendi que é difícil traçar uma linha entre ser gentil, não ferir as pessoas, e saber lutar pelas coisas que eu acredito!

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Depois de algum tempo

você aprende a diferença entre dar a mão e acorrentar uma alma. Aprende que amar não significa apoiar-se, e que companhia nem sempre significa segurança. Aprende que beijos não são promessas, e que não importa quão boa seja a pessoa, ela vai feri-la de vez em quando. Aprende que falar pode aliviar dores emocionais, e que leva-se um certo tempo para construir confiança e apenas segundos para destruí-la. Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias. Aprende que as pessoas com quem você mais se importa são tomadas de você muito depressa, e por isso, sempre devemos deixa-las com palavras amorosas, pois pode ser a última vez que as vejamos. Aprende que maturidade tem mais a ver com as experiência que se teve e o que aprendemos com elas, do que com quantos aniversários você celebrou. Aprende que há mais dos seus pais em você do que supunha, e que realmente pode suportar muitas coisas que achava não poder. Que realmente é forte, e que pode ir muito mais longe do que se esperava.

domingo, 5 de dezembro de 2010

Você sempre me disse que sua maior mágoa, era eu nunca ter escrito um texto sobre você.


Nem que fosse te xingando, te expondo. Qualquer coisa. Você sempre foi o único homem que me amou. E eu nunca te escrevi nem uma frase num papelzinho amassado. Você sempre foi o único amigo que entendeu essa minha vontade de abraçar o mundo quando chega a madrugada. E o único que sempre entendeu também, o porque de eu dormir chorando, porque era impossível abraçar sequer alguém, o que dirá o mundo. Outro dia eu encontrei um diário meu, de 99, e lá estava escrito “hoje eu larguei meu namorado sentado, e dancei com ele no baile de formatura”. Ele, no caso, é você. Dei risada e lembrei que em todos esses anos, mesmo eu nunca tendo escrito nenhum texto para você, por diversas vezes larguei vários namorados meus, sentados, e dancei com você. Porque você é meu melhor companheiro de dança, mesmo sendo tímido e desajeitado. Depois encontrei uma foto em que você está com um daqueles óculos escuros espelhados de maconheiro. E eu de calça colorida daquelas “bailarina”. E nessa época você não gostava de mim porque eu era a bobinha da classe. Mas eu gostava de você porque você tinha pintas e eu achava isso super sexy. E eu me achei ridícula na foto, mas senti uma coisa linda por dentro do peito. Aí lembrei que alguns anos depois, quando eu já não era mais a bobinha da classe e sim uma estagiária metida a esperta que só namorava figurões (uns babacas na verdade), você viu algum charme nisso e me roubou um beijo. Fingindo que ia desmaiar. Foi ridículo. Mas foi menos ridículo do que aquela vez, ainda na faculdade, que eu invadi seu carro e te agarrei a força. Você saiu cantando pneu e ficou quase dois anos sem falar comigo. Eu não sei porque exatamente você não mereceu um texto meu, quando me deu meu primeiro cd do Vinícius de Morais. Ou quando me deu aquele com historinhas de crianças para eu dormir feliz. Ou mesmo quando, já de saco cheio de eu ficar com você e com mais metade da cidade, você me deu aquele cartão postal da Amazônia com um tigre enrabando uma onça. Também não sei porque eu não escrevi um texto quando você apareceu naquela festa brega, me viu dançando no canto da mesa, e me disse a frase mais linda que eu já ouvi na minha vida “eu sei que você não gosta de mim, mas deixa eu te olhar mesmo assim”. Talvez eu devesse ter escrito um texto para você, quando eu te pedi a única coisa que não se pede a alguém que ama a gente “me faz companhia enquanto meu namorado está viajando?”. E você fez. E você me olhava de canto de olho, se perguntando porque raios isso acontecia com você. Talvez porque mesmo sabendo que eu não amava você, você continuava querendo apenas me olhar. E eu me nutria disso. Me aproveitava. Sugava seu amor para sobreviver um pouco em meio a falta de amor que eu recebia de todas as outras pessoas que diziam estar comigo. Depois você começou a namorar uma menina e deixou, finalmente, de gostar de mim. E eu podia ter escrito um texto para você. Claro que eu senti ciúmes e senti uma falta absurda de você. Mas ainda assim, eu deixei passar em branco. Nenhuma linha sequer sobre isso. Depois eu também podia ter escrito sobre aquele dia que você me xingou até desopilar todos os cantos do seu fígado. Eu fiquei numa tristeza sem fim. Depois pensei que a gente só odeia quem a gente ama. E fiquei feliz. Pode me xingar quanto você quiser desde que isso signifique que você ainda gosta um pouquinho de mim. Minhas piadas, meu jeito de falar, até meu jeito de dançar ou de andar. Tudo é você. Minha personalidade é você. Quando eu berro Strokes no carro ou quando eu faço uma amiga feliz com alguma ironia barata. Tudo é você. Quando eu coloco um brinco pequeno ao invés de um grande. Ou quando eu fico em casa feliz com as minhas coisinhas. Tudo é você. Eu sou mais você do que fui qualquer homem que passou pela minha vida. E eu sempre amei infinitamente mais a sua companhia do que qualquer companhia do mundo, mesmo eu nunca tendo demonstrado isso. E, ainda assim, nunca, nunquinha, eu escrevi sequer uma palavra sobre você. Até hoje. Até essa manhã. Em que você, pela primeira vez, foi embora sem sentir nenhuma pena nisso. Foi a primeira vez, em todos esse anos, que você simplesmente foi embora. Como se eu fosse só mais uma coisa da sua vida, e que você é cheio dessas coisas. E que você usa para não sentir dor ou saudade. Foi a primeira vez que você me deixou te olhar, mesmo você não gostando de mim. E foi por isso, porque você deixou de ser o menino que me amava e passou a ser só mais um que me usa, que você, assim como todos os outros, mereceu um texto meu.

Já não choro como antes, pois não pretendo demonstrar fraqueza a mim, nem aos outros. Não sonho como antes, pois não quero iludir meu amanha ser o meu ontem. Fiz acordos com o amor, de não me procurar que assim vier aceitarei, como um sonho eu acabei caindo e acordando, ilusões nos fazem sofrer. Viver a vida pra mim é ser feliz e aprender, dentro de um cubo temos muitos o que fazer, mas dele eternamente podemos viver. Acho incrível a capacidade das pessoas não ligarem para outras, o mundo que vivemos se tornou tão liberal, que tudo ao redor se torna inútil, e o útil se tranca. Decepções fazem as pessoas desistirem, outras seguirem, mas eu vou onde o sol estiver, pois sei que lá meu futuro cumprido estará. Não vou chorar, não vou socar a parede, não pretendo falar de amor com todos, muito menos largar tudo por alguém, garanto a você que mudei o meu jeito, minhas atitudes podem ser as mesmas, com outras intenções, eu valorizo como nunca uma amizade, mas também posso deixar-la pra trás, do mesmo modo que a trouxe pra perto. Entendo que muitos vêem a terra com missões de nos ensinar, aprenda com eles! Entendo que muitos vêem a terra com missões de nos derrotar, perca, mas não desista! Entendo que muitos vêem a terra com a missão de nos tornar forte, siga-o sempre! Não espere derramar uma lagrima de meu rosto, são coisas simples que fazem cair, o que te emociona, me deixa feliz O que lhe deixa triste, eu mudo o canal. Cansei de sofrer, chorar e derrubar lagrima que me deixam em pé, por uma amizade Se estivesse realmente precisando fazer isso, eu faria junto com você... O que tem base fortalece. O que fortalece jamais se esquece. Mesmo destruído, seus rastros ao chão, ou ao ar podem ser vistos.

no vazio do espaço que nos separou, renasceu o que eu jurava nunca ter existido: Nosso amor.


Era uma vontade mútua de se descobrir além do permitido. Aquele terreno tantas vezes explorado, era depois de tanto tempo, completamente desconhecido. Você com seus rolos e manias, eu com minha solidão de multidões. Percebi depois de alguns minutos te olhando – nós continuávamos os mesmos, porém a quilômetros de distância.

Eu queria te lembrar de um passado, mas só consegui dizer algo sobre o seu presente. Você se gabou do quanto ainda conseguia enganar as meninas, e eu sorri como se isso não mais importasse – Eu também enganei algumas pessoas.
Talvez naquele momento eu me sentisse pronta e suja o suficiente pra você. Admitir isso era a maneira menos dolorosa de dizer que o amor que um dia eu rejeitei, naquele segundo, me sufocava.
Você segurou minha mão e disse em meu ouvido palavras que eu jamais esquecerei:
- Você é minha garota. Independente do resto.
Abri meus olhos e larguei suas mãos como se tivesse pronta para te deixar. E fiz. Eu queria me tornar sua garota, não ser ela pra sempre.

Você já podia voltar para suas meninas, e eu, para minhas mentiras.