quinta-feira, 11 de novembro de 2010


Ele olhou pra mim sorrindo sem jeito e me perguntou.
- O que você acha do amor?
Foi uma simples pergunta. Mas a tal fez um estrondo dentro de mim que nem eu estava esperando, olhei para a paisagem bonita, senti que ele estava esperando minha resposta, eu só não queria dar uma resposta clichê, muito menos uma resposta vaga. Eu queria dizer o que REALMENTE eu achava do amor.
Eu queria dizer que: É o sentimento mais importante na vida de alguém, e que sem ele eu não poderia ver as pessoas com bons olhos, sem ele nós não iríamos ter a razão para dar o perdão, e que a compaixão não iria ser a mesma sem o Amor, o amor é a razão pela qual eu luto todos os dias para não desistir, sentir amor por alguém é maravilhoso, claro, eu amava minha família, mas certos sentimentos de amor são drasticamente diferentes. Ainda sim, sabendo da minha convicção pelo amor, não o meu achismo, mas, eu tinha certeza do que era o amor, pelo menos para mim. Eu esperei alguns segundos antes de olhar em seus olhos e simplesmente disse.
- Eu não acho... Eu sinto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário